Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

A semana na piauí #209

  questões do aprisionamento digital Braços inteiros, mentes quebradas Um adolescente americano é menos propenso a fraturar os ossos que alguém de sua idade quinze anos atrás. Embora possa parecer bom, isso indica que eles estão mais isolados, grudados no celular. Leia  aqui TANIA MENAI anais do cala-boca Assédio judicial contra jornalistas se agrava no Brasil Há 654 ações em curso contra jornalistas que podem ser caracterizadas como assédio judicial, segundo levantamento da Abraji. O Brasil está entre os países que mais hostilizam profissionais da imprensa na Justiça. Confira  aqui . ALLAN DE ABREU questões de vida e morte Por um último e sereno suspiro A  edição de abril  da  piauí  conta como  Ana Claudia Arantes se tornou uma das principais vozes em defesa dos cuidados paliativos  no Brasil. Seu trabalho é esclarecer como se pode vivenciar a morte da maneira mais confortável e digna possível. ANGÉLICA SANTA CRUZ anais do futebol O homem que descobriu Endrick. Pelo WhatsApp Em 2016,

(17 a 20/11) ESTREIA "CORPO CRUSTÁCEO"- Coletivo Ruínas - CRDSP

 



Coletivo Ruínas estreia “Corpo Crustáceo”

no Centro de Referência da Dança

Corpo Crustáceo-Coletivo Ruínas 3.jpg
                                                                                                                                                                                 Foto: Laio Rocha e Paris Araújo

“Corpo Crustáceo” é a instalação performativa de dança contemporânea que o Coletivo Ruínas estreia, em temporada de 17 a 20 de novembro, no CRDSP - Centro de Referência da Dança de São Paulo. Presenciais e gratuitas, as apresentações acontecem sempre às 19h, seguindo todos os protocolos de segurança, com uso obrigatório de máscara e apresentação da carteira de vacinação para entrar na sala cênica.

Resultado de uma pesquisa de corporalidade e estados de presença, realizada em sítios urbanos de demolição residencial – locais que sofrem especulação imobiliária -, e ressignificada  por experiências de dança em lugares de natureza, como rios e áreas verdes preservadas, “Corpo Crustáceo” examina minuciosamente a relação intrínseca entre o corpo e o ambiente em que habita, tomando “a casca”, “a crusta", o seu contorno como disparador imediato. 

Ao sondar as forças que instituem a valoração da terra nas cidades, dançarina, objetos, figurino, luz e sonoridade composta ao vivo, conduzem a uma sucessão de paisagens sensoriais. Da dilatação temporal esculpida pela escuta sensível de um corpo vivente em relação com a tensão exercida por 400 quilos de pedras, brotam micromovimentos, e sons hiper-realistas, texturas e ruídos se misturam, criando camadas e atmosferas específicas para este ambiente de novas descobertas.

A intenção é que, o acolhimento desse corpo-matéria quase inerte no espaço-tempo estendido provoque múltiplas nuances de reflexão sobre aspectos de intersecção do humano e da Terra. É um estudo sobre a imaginação das forças de um corpo ainda em devir”, pondera Michele Carolina, que concebeu a performance contando com a provocação cênica de Luah Guimarãez, o suporte dramatúrgico de Silvia Geraldi e Toshi Tanaka na preparação corporal. A criação coletiva tem ainda Jovem Pelarosi no desenho sonoro, Juliana Morimoto na luz, Rogério Marcondes na cenografia e Rogério Romualdo no figurino 

O trabalho teve como eixo de treinamento práticas corporais de Do-ho, técnica que busca, a partir do movimento sensível do corpo, compreender os princípios de kata (postura) contidos na cultura tradicional japonesa.

“Corpo Crustáceo” é parte do projeto ‘Residência Obs-cênica’, contemplado pelo Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

__________________________________________________________

Serviço:

“Corpo Crustáceo” – Coletivo Ruínas – estreia

Apresentações presenciais

17 a 20/11 (quarta a domingo), 19h

Centro de Referência da Dança de São Paulo - CRDSP

Baixos do Viaduto do Chá s/n, Praça Ramos de Azevedo - Centro Histórico

(*Obrigatórios uso de máscara e apresentação da carteira de vacinação)

Reserva antecipada de ingressos no link: https://cutt.ly/corpocrustaceo

Presencialmente, os ingressos serão distribuídos uma hora antes do espetáculo.

Lotação: 20 lugares | Classificação indicativa: livre | Duração: 50 minutos

Grátis.

 

O Coletivo

O Coletivo Ruínas surgiu em 2013, como uma plataforma de investigação e criação experimental e transversal às linguagens da dança, do teatro, do audiovisual expandido, da fotografia e da música, reunidas pelo assombro e atração que os sítios de demolição de casas, fundamentalmente em bairros residenciais da cidade de São Paulo, geravam nos corpos e cotidianos.

A composição de artistas passou a criar modos de se relacionar poeticamente com estas topologias urbanas, utilizando recursos tecnológicos que apoiassem a pesquisa chamada, a título de estudo, de “corpo estranhado” ou “corpo em[tre]ruínas”, e refletir, ética e politicamente, por meio de criações artísticas (intervenções urbanas, instalações, videodança, experimentos cênicos), frente às mudanças de imaginário advindas das transformações dos lugares.

www.coletivoruinas.com.br

 

Ficha Técnica

Concepção: Coletivo Ruínas | Dança e Coordenação Artística: Michele Carolina | Provocação cênica: Luah Guimarãez | Suporte dramatúrgico: Silvia Geraldi | Desenho de som: Jovem Palerosi | Assistente de criação cênica e Iluminação: Juliana Morimoto | Assistente de palco: Flávia Servidore | Cenografia: Rogério Marcondes | Figurino: Rogério Romualdo | Preparação corporal: Toshi Tanaka | Registro em foto e vídeo: Laio Rocha e Paris Araújo (Inspiração 6) | Edição: Rafael Frazão | Designer Gráfico: Gustavo Domingues | Assessoria de Imprensa e Redes Sociais: Elaine Calux e Talita Bretas (Portal MUD) | Produção: Júnior Cecon


Fotografias

Corpo Crustáceo-Coletivo Ruínas-Foto Laio Rocha e Paris Araújo 1


Corpo Crustáceo-Coletivo Ruínas-Foto Laio Rocha e Paris Araújo 3






Corpo Crustáceo-Coletivo Ruínas-Foto Laio Rocha e Paris Araújo 5.jpg

 

Corpo Crustáceo-Coletivo Ruínas-Foto Laio Rocha e Paris Araújo 6.jpg

 

Informações adicionais:

Elaine Calux – assessoria de imprensa

11 964655686 | 33689940


Comentários