Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

A semana na piauí #209

  questões do aprisionamento digital Braços inteiros, mentes quebradas Um adolescente americano é menos propenso a fraturar os ossos que alguém de sua idade quinze anos atrás. Embora possa parecer bom, isso indica que eles estão mais isolados, grudados no celular. Leia  aqui TANIA MENAI anais do cala-boca Assédio judicial contra jornalistas se agrava no Brasil Há 654 ações em curso contra jornalistas que podem ser caracterizadas como assédio judicial, segundo levantamento da Abraji. O Brasil está entre os países que mais hostilizam profissionais da imprensa na Justiça. Confira  aqui . ALLAN DE ABREU questões de vida e morte Por um último e sereno suspiro A  edição de abril  da  piauí  conta como  Ana Claudia Arantes se tornou uma das principais vozes em defesa dos cuidados paliativos  no Brasil. Seu trabalho é esclarecer como se pode vivenciar a morte da maneira mais confortável e digna possível. ANGÉLICA SANTA CRUZ anais do futebol O homem que descobriu Endrick. Pelo WhatsApp Em 2016,

MAC USP IBIRAPUERA -ENTRADA GRATUITA







De 25 de Agosto de 2012 a 28 de Julho de 2013
MAC USP Ibirapuera
Entrada Gratuita
O Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo apresenta a exposição Um Outro Acervo do MAC USP : Prêmios-aquisição da Bienal de São Paulo, 1951-1963, em sua sede histórica, no terceiro andar do pavilhão da Bienal de São Paulo. Com curadoria de Ana Magalhães, a mostra reúne 115 obras que passaram ao acervo do antigo Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), em sua grande maioria, como prêmios-aquisição da Bienal de São Paulo. Procurou-se privilegiar nomes e obras menos conhecidos atualmente, mas que em seu tempo constituíram elementos importantes na história da arte moderna.
Reunindo as obras selecionadas por edição da Bienal, a exposição procura mostrar que os prêmios-aquisição pareciam continuar a obedecer às categorias da premiação regulamentar: compravam-se para o antigo MAM obras representativas da pintura, da escultura e da gravura modernas, com algumas poucas exceções. Também há uma presença bastante significativa de obras em papel, testemunho da forte experimentação com as técnicas tradicionais de gravura, aliadas a técnicas reprográficas, ao uso de novos equipamentos gráficos e de larga tiragem, que levaram à elaboração de proposições únicas pelos artistas do período.
Esta exposição resultou num exercício de voltar às obras e aos artistas ali presentes para que eles sejam compreendidos como possibilidades abertas pela pesquisa artística, demonstrando que o acervo do antigo MAM estava em um diálogo aberto com o seu próprio tempo. A exposição reúne artistas como Robert Adams, Ralph Du Casse, Fritz Winter, Maria Martins, Émile Gilioli, Armando Morales, Henri-Georges Adam, Anna Letycia, Nemesio Antúnez, Prunella Clough, José Luiz Cuevas, Marcel Fiorini, Milton Dacosta, Hans Fischer, Yozo Yamaguchi, Paolo Rissone, Otto Pankok, Marta Peluffo, Jackson Ribeiro, Luiz Martinez Pedro, William Scott, Elisa Martins da Silveira, France Mihelic, Peter Lubarda, Bruno Giorgi e Juan Vilacasas, entre muitos outros.

Comentários