Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

A semana na piauí #209

  questões do aprisionamento digital Braços inteiros, mentes quebradas Um adolescente americano é menos propenso a fraturar os ossos que alguém de sua idade quinze anos atrás. Embora possa parecer bom, isso indica que eles estão mais isolados, grudados no celular. Leia  aqui TANIA MENAI anais do cala-boca Assédio judicial contra jornalistas se agrava no Brasil Há 654 ações em curso contra jornalistas que podem ser caracterizadas como assédio judicial, segundo levantamento da Abraji. O Brasil está entre os países que mais hostilizam profissionais da imprensa na Justiça. Confira  aqui . ALLAN DE ABREU questões de vida e morte Por um último e sereno suspiro A  edição de abril  da  piauí  conta como  Ana Claudia Arantes se tornou uma das principais vozes em defesa dos cuidados paliativos  no Brasil. Seu trabalho é esclarecer como se pode vivenciar a morte da maneira mais confortável e digna possível. ANGÉLICA SANTA CRUZ anais do futebol O homem que descobriu Endrick. Pelo WhatsApp Em 2016,

MAC USP EM OBRAS


De 27/5/2011 a 24/3/2013
MAC USP Ibirapuera
Entrada Gratuita

MAC EM OBRAS

Como instituição, a fim de atender os objetivos de colecionar, pesquisar e exibir as obras, o museu institui regras e normas para preservar a obra de arte, documentando, restaurando e até reproduzindo quando preciso.
Para o artista, uma das formas de resistir a essa imposição de regras é construir seus trabalhos com materiais precários e perecíveis que evidenciam o caráter transitório e ao mesmo tempo atentam contra a própria integridade física. Ao museu de arte contemporânea cabe criar condições para que essas manifestações - mesmo que muitas vezes contra elas próprias - possam ser conhecidas e estudadas pelas gerações atuais e futuras.
O Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo decidiuapresentar esta questão ao público da forma mais direta possível: permitindo a visita aos objetos e instalações em seus estágios de conservação e restauro. Na exposição em constante mutação o público poderá acompanhar os trabalhos e discussões da equipe do museu e artistas, cientistas, curadores e técnicos em conservação de outras instituições que vão auxiliar na solução para questões específicas de cada trabalho. Poderá, ainda, participar do debate que envolve o trabalho de colecionar, estudar, preservar e exibir a produção artística contemporânea.
Ao invés de manter o processo de restauração a portas fechadas e apresentar ao público uma exposição com as obras já recuperadas, busca ser fiel ao seu espírito público e universitário – voltado para a pesquisa – e considera oportuno expor os trabalhos ainda “em obras”, em processo de recuperação. Assim, o Museu acredita que cumpre seu compromisso com a preservação, o estudo e a exibição dessas obras e, ao mesmo tempo, respeita a excepcionalidade de cada um dos trabalhos de arte que coleciona.

 

Comentários